Vida e Amores de João 8

Essa é a história de João 8
(escrito assim, sem traço, aspas ou qualquer outro sinal gráfico)
Uma história boa, divertida e com um toque trágico
Embora tudo não possamos te contar pra não te deixar tresnoito.

João 8 nasceu numa quinta,
uma quinta qualquer, indistinta.
Veio sem ter sido chamado,
pelo pais, não fora desejado.
Mesmo assim, deixou seu legado.

João 8 foi crescendo, sempre franzino.
Muita falta de exercício, imagino.
O que importa é que nunca foi bom dançarino.
Na formatura do ABC pisava no pé de sua dama.
Por não saber dançar, tanto demorou a levar mulher pra cama,
o que lhe rendeu um vício incurável por cerveja da brahma.

Dizem que ele se apaixonou cedo demais.
Um linda menina, que lhe tirou o sono e a paz.
Por ela, ele nutriu sentimentos ideais,
e por causa disso quase não foi feliz nunca mais.

Mais de dez anos ele levou pra esquecer
(o sentimento não queria arrefecer!)
Mesmo assim ele se forçou a viver
embora sem ela, nada quisesse ter.

Enfim, ele a esqueceu
(e que trabalho isso deu!),
mas só pra se apaixonar novamente.
Morena linda, muito decente,
roubou o coração de nosso amigo num repente.

Juras de eterno amor ele fez.
Poemas construiu com inigualável brilhantez,
doido pra de sua morena ver a nudez,
ela, porém, nesse ponto logo não o satisfez.
Queria provas de que ele não a abandonaria
Tão logo seu corpo deixasse de ter serventia.

Felizes eles eram.
Até um filho tiveram!
Mas o mundo se pôs no caminho,
o tempo que passavam juntos passou a ser daninho.
Então eles se separaram,
mas com a amizade não acabaram.

Outra noite, outra brahma.
E, olha só, eis que novamente ele ama!
Outra morena lhe chamou a atenção
e de novo ele entregou seu coração.

Com ela, pouco ele viveu,
porém muito se deu.
Feliz ele foi como nunca antes,
pois ambos se divertiam como bacantes.

Porém, o amor chegou ao fim.
Embora ela lhe fosse uma alma afim.

Com o coração partido,
ele se sentia perdido.
Jamais iria ter outro amor tão desmedido.

De dor ele gemia,
de frio tremia.
Queria voltar pra boemia,
mas seus pecados ele remia.

Outra noite, outra menina ele encontrou.
E, adivinhem só, a ela ele amou.
Alta, branca, bonita,
logo se tornou sua favorita.

Agora eu me calo.
Sei que a um verdadeiro poeta não me igualo.
Paro por não ter mais o que contar.
Pois sei que já estás cheio de histórias sobre sofrer e amar.

— João Octávio
adorando brincar com as rimas

Anúncios

Um comentário em “Vida e Amores de João 8

  1. Lilica disse:

    Bem legal e verídico porque a cada amor que arrumamos pensamos ser eterno e quando vemos…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s